Super User

Super User

Selfies labore, leggings cupidatat sunt taxidermy umami fanny pack typewriter hoodie art party voluptate. Listicle meditation paleo, drinking vinegar sint direct trade.

A Netflix anunciou aumento de preços no Brasil nesta quinta-feira, 14. Os valores do serviço de streaming podem aumentar de 10% a 21%. Outros países também passam pelo ajuste da taxa. No último ajuste feito pela empresa no Brasil, em 2017, o preço do plano básico continuou o mesmo. Desta vez, todos os três planos terão valores alterados.

Quem contrata o serviço básico de tela única e sem HD terá reajuste de 10,5%, passando de R$ 19,90 para R$ 21,90. O plano que dá direito a duas telas simultâneas e conteúdo HD passa a custar R$ 32,90. Já o serviço com quatro telas simultâneas e ultra HD teve reajuste de 21% e deve custar R$ 45,9, - R$ 8 a mais do que o preço atual.

Os preços também estão sendo ajustados no México. Nos Estados Unidos, os valores sofreram aumentos em janeiro deste ano. A empresa explica que busca melhorar a experiência dos usuários e investir em mais conteúdos de entretenimento.

Fonte: O Povo

A 297 km de Fortaleza, o açude Angicos, em Coreaú, é um dos 20 reservatórios cearenses sangrando no Estado nesta sexta-feira, 22. De acordo com o monitoramento da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), o reservatório recebeu um aporte de 1,9 milhão de metros cúbicos de água nas últimas 24 horas e começou a sangrar pela segunda vez neste ano.

Segundo a Cogerh, em 22 de janeiro de 2018, a represa estava com 74,5% da capacidade ocupada. No total, o reservatório pode receber até 56,05 milhões de metros cúbicos.

Também estão sangrando: Acaraú Mirim (Massapê), Angicos (Coreaú), Batente (Ocara), Cauhipe (Caucaia), Cocó (Fortaleza), Diamantino II (Marco), Gameleira (Itapipoca), Gangorra (Granja), Gavião (Pacatuba), Germinal (Palmácia), Itapebussu (Maranguape), Itaúna (Granja), Jenipapo (Meruoca), Maranguapinho (Maranguape), São José I (Boa Viagem), Tijuquinha (Baturité) e Tucunduba (Senador Sá).

Nas últimas 24 horas, foram registrados aportes em 63 açudes monitorados pela companhia, destacando-se, além do Angicos, o Acarape do Meio, Aracoiaba, Araras, Castanhão, Cedro, Edson Queiroz, Figueiredo, Frios, Jaburu I, Pedras Brancas e Pentecoste.

Outros 95 açudes operam com volume abaixo de 30% da capacidade.

O sistema de abastecimento do Ceará está operando com 13,09% da capacidade.

Fonte: O Povo

Uma mulher de 68 anos, que comia amendoim sem se preocupar com alergias, teve uma reação alérgica severa depois de ter comido um sanduíche com manteiga de amendoim. Segundo a investigação, a mulher não era alérgica, mas o doador que lhe forneceu um pulmão, sim.

Da Universidade da Califórnia, Mazen Odish, autor do estudo publicado no Transplantation Proceedings, refere que é raro receptores adquirirem uma alergia alimentar de um órgão doador. Aliás, até hoje, houve apenas quatro ou cinco relatos de casos nos quais os receptores de órgãos adquiriram alergia a amendoim com anafilaxia, após um transplante de pulmão.

Segundo o Live Science, a mulher necessitou de um transplante de pulmão para tratar um enfisema, condição na qual os sacos aéreos dos pulmões ficam danificados, dificultando a respiração. A paciente acabou por receber um novo pulmão esquerdo de um doador de 22 anos.

Após a intervenção cirúrgica, a recuperação estava em um bom caminho, até que, um dia antes de receber alta, a paciente sentiu um aperto muito forte no peito e dificuldades para respirar.

Os médicos não sabiam o motivo de a paciente ter sintomas de insuficiência respiratória e os testes realizados no momento não revelaram nenhuma explicação plausível.

O mistério acabou assim que a mulher confessou que os sintomas apareceram logo após ter comido o sanduíche com manteiga de amendoim. Os médicos suspeitaram de uma alergia alimentar, mesmo que a paciente não apresentasse outros sintomas comuns de alergia, como erupção cutânea ou dor no estômago.

O mistério acabou assim que a mulher confessou que os sintomas apareceram imediatamente após ter comido o sanduíche com manteiga de amendoim. Os médicos suspeitaram de uma alergia alimentar, mesmo que a paciente não aparesentasse outros sintomas comuns de alergia, como erupção cutânea ou dor no estômago.

Como a paciente nunca teve reações alérgicas derivadas da ingestão de amendoim, os médicos contataram a agência de transplantes que acabou por confirmar que o doador tinha alergia a amendoim. Assim, além do pulmão, a mulher recebeu também a alergia do doador, contou Odish.

Apesar de muito raro, é possível que alergias alimentares sejam transferidas de doadores de órgãos para receptores de transplantes. Ainda assim, nem todo receptor que recebe um órgão de um doador com alergia alimentar adquire a sensibilidade.

Estudos anteriores sugeriram, inclusive, que crianças que recebem transplantes de fígado podem ter maior probabilidade de desenvolver alergias alimentares.

Outros estudos mostraram que as alergias alimentares adquiridas em transplantes ocorrem com maior frequência quando os receptores de órgãos são medicados com tacrolimus, um imunossupressor usado para reduzir o risco de rejeição de órgãos após um transplante.

Ainda assim, não está claro se alergias alimentares adquiridas em transplantes continuam uma preocupação vitalícia para os pacientes, dado que é possível que a alergia possa diminuir para alguns indivíduos.

Fonte: Ciberia

Os alimentos cultivados organicamente têm um impacto climático maior do que os alimentos cultivados de maneira convencional, devido à necessidade de maiores áreas de terra para cultivar.

A agricultura orgânica tem como principal objetivo maximizar o “natural” e minimizar a interferência química quando os alimentos são produzidos, mas será mesmo a melhor opção para o meio ambiente?

Uma equipe internacional de cientistas defende agora que, como as culturas orgânicas produzem muito menos, porque não são usados fertilizantes para impulsionar as colheitas, é necessária muita mais terra para produzir a mesma quantidade de alimentos biológicos do que as culturas convencionais.

A equipe de especialistas concluiu ainda que os alimentos biológicos têm um impacto maior no clima do que os alimentos convencionais, isto devido às emissões extras de dióxido de carbono produzidas pelo desmatamento exigido como resultado de uma produção orgânica menos eficiente.

Stefan Wirsenius, um dos autores do estudo publicado recentemente na Nature, afirmou que “o maior uso da terra na agricultura orgânica leva indiretamente a maiores emissões de dióxido de carbono, graças ao desmatamento”.

Para o estudo, os cientistas se concentraram na produção de ervilhas e trigo orgânicos na Suécia. A equipe descobriu que as ervilhas cultivadas de forma biológica têm um impacto 50% maior no clima do que as cultivadas através de métodos convencionais.

Para outros alimentos, se depararam com uma diferença ainda maior, com o trigo tendo um impacto de 70%. “É um grande descuido”, afirma o cientista, adiantando que, “como mostra o estudo, esse efeito pode ser muito maior do que os efeitos dos gases de efeito estufa”.

Os cientistas afirmaram que também é provável que haja um efeito indireto para a carne orgânica e produtos lácteos, dado que esses animais são alimentados com alimentos orgânicos, cultivados em fazendas que ocupam mais espaço. Mas, como não foi estudado, ainda não passa de uma hipótese.

Com esse estudo, os cientistas não sugerem que a agricultura orgânica deva ser posta de lado. Em vez disso, acreditam que seu uso deve ser cuidadosamente considerado.

“Alimentos orgânicos têm várias vantagens em comparação com os alimentos produzidos por métodos convencionais. Mas quando se trata do impacto climático, nosso estudo mostra que a comida orgânica é uma alternativa muito pior“, adianta Wirsenius.

Fonte: Ciberia

A France 2 fez um documentário sobre o PSG no qual revela que alguns jogadores recebem verbas para adotarem certos comportamentos. É o caso de Neymar, que recebe 375 mil euros para aplaudir os torcedores no fim das partidas.

A publicação informa que Neymar recebe 375 mil euros para aplaudir os torcedores. Mas não é o único. Thiago Silva ganha, pelo mesmo gesto, 33 mil euros.

Em comunicado, o clube francês adiantou que essas ações fazem parte do salário do jogador e do equipe, não sendo sequer consideradas um bônus.

“Esse prêmio faz parte de uma remuneração mensal dos jogadores profissionais. O prêmio não está ligado com a finalidade de serem cumpridos determinados objetivos, deve-se apenas a uma motivação pedagógica para implementar os valores que cremos que esse clube deve ter”, afirmou o PSG.

Segundo o clube, existe um código de ética a ser cumprido pelos jogadores, que inclui vários itens e valem pontos. Além de aplaudirem os torcedores, os jogadores do PSG são também compensados pela pontualidade, pelo respeito que demonstram pelos órgãos de comunicação e por não apostarem nos jogos em que o clube participa, informa o DN.

Neymar custou 22 milhões de euros ao clube francês, que o contratou tirando-o do Barcelona no inverno do ano passado.

Fonte: Ciberia

Depois de lançar consultas e permitir transações financeiras pelo WhatsApp, o Banco do Brasil (BB) tornou-se o primeiro banco a lançar o serviço de saques pelo aplicativo de mensagens. A ferramenta dispensa o uso de cartão para concluir a operação.

As retiradas estão limitadas a R$ 300 por dia, sempre em valores múltiplos de R$ 10. Para iniciar a operação, o cliente inicia uma conversa pelo WhatsApp com o número (61) 4004-0001, digitando “saque sem” ou “saque sem cartão”.

O chatbot (assistente virtual ativado por inteligência artificial) perguntará o valor do saque, cabendo ao cliente digitar a senha do cartão para confirmar o saque.

Com o código informado pelo assistente virtual, o cliente deve dirigir-se a qualquer terminal de atendimento do Banco do Brasil. O código tem validade até as 23h59 do dia do pedido. Segundo a instituição financeira, a solução é totalmente segura porque as mensagens são criptografadas de ponta a ponta, impedindo o rastreamento por terceiros.

Com o serviço de saque, os clientes do BB podem fazer 15 tipos de transações pelo WhatsApp. Em junho, o banco lançou as consultas de saldos e de extratos pelo aplicativo. Em outubro, foram iniciadas as transações financeiras, com serviços como transferência entre contas e recarga de celular.

No fim de novembro, o BB passou a oferecer a recarga do Bilhete Único de transporte coletivo para os moradores do município de São Paulo. Desde o lançamento do piloto, o banco registrou mais de 200 mil operações de recarga.

Inteligência artificial
Desde 2017, o Banco do Brasil utiliza o Watson, assistente de inteligência artificial desenvolvido pela empresa IBM, para ajudar os funcionários a resolver os problemas dos clientes.

Em agosto de 2017, a tecnologia começou a ser usada para dar suporte aos pedidos dos clientes no Facebook Messenger. O assistente virtual responde usando uma linguagem natural e aprende constantemente com base nas interações dos usuários.

Em todos os aplicativos, o cliente passará a ser ajudado por um funcionário do BB caso seja necessário atendimento humano.

Fonte: Ciberia

Uma equipe de cientistas demonstrou que existem pontos específicos ao longo da molécula de DNA que controlam a replicação.

Nas células, o DNA e o material associado se reproduzem em intervalos regulares, um processo essencial para todos os organismos vivos. Esse processo é fundamental na forma como o corpo responde às doenças, por exemplo.

A replicação do DNA foi identificada na década de 1950. Desde então, os cientistas nunca foram capazes de entender o processo.

“Tem sido um grande mistério. A replicação parecia resistente a tudo o que tentamos fazer para perturbá-la”, disse o autor do estudo David Gilbert, pesquisador da Universidade Estadual da Flórida. O artigo científico foi recentemente publicado na Cell.

“Descrevemos tudo detalhadamente, mostramos que o DNA muda em diferentes tipos de células e é afetado pelas doenças. Mas, até agora, não conseguimos encontrar a peça-chave, os elementos de controle ou as sequências de DNA que o controlam”, explicou.

A equipe de Gilbert examinou um único segmento de DNA na mais alta resolução 3D possível e observaram três sequências ao longo da molécula de DNA que se tocavam com frequência.

Foi então que decidiram usar a tecnologia de edição genética CRISPR para remover essas três áreas simultaneamente. Com essa experiência, os cientistas descobriram que esses três elementos juntos eram a chave para a replicação do DNA.

“A remoção desses três elementos mudou o tempo de replicação do segmento desde o início até o fim do processo”, afirmou Gilbert.

Segundo o Sci-News, além do efeito no tempo de replicação, a remoção dos tais três elementos fez com que a estrutura 3D da molécula de DNA mudasse drasticamente.

“Identificamos, pela primeira vez, sequências específicas de DNA no genoma que regulam a estrutura da comatina e o tempo de replicação“, explicou o principal autor do estudo, Jiao Sima, também da Universidade Estadual da Flórida.

“Esses resultados refletem um possível modelo de como o DNA se dobra dentro das células e como esses padrões podem afetar a função dos materiais hereditários“, concluiu.

Fonte: Ciberia

O papa Francisco afirmou esta semana que é preferível viver como ateu do que ir todos os dias à igreja e passar a vida odiando e criticando os outros.

“Quantas vezes vemos o escândalo dessas pessoas que passam o dia na igreja, ou que lá vão todos os dias, e depois vivem odiando ou falando mal dos outros”, assinalou Francisco durante a audiência geral que tem todas as quartas-feiras com os fiéis.

O papa acrescentou que o melhor é nem ir à igreja: “Viva como um ateu. Se vai à igreja, então viva como filho, como irmão, dá um verdadeiro exemplo”, instou. Francisco aludia ao evangelho de São Mateus, em que se referem os hipócritas que rezam “para ser vistos pelas pessoas”.

“Os pagãos acreditam que se reza falando, falando, falando. Eu penso em muitos cristãos que acreditam que rezar é falar com Deus, salvo seja, como um papagaio. Não, rezar se faz com o coração, a partir do interior”, defendeu.

Fonte: Ciberia

Os carros elétricos trouxeram inúmeras vantagens para seus donos, mas uma coisa é certa: recarregá-los pode ser algo problemático, uma vez que não há estações disponíveis na mesma proporção que postos de gasolina, por exemplo. Segundo um levantamento, em setembro do ano passado havia aproximadamente 22 mil estações de carregamento disponíveis nos Estados Unidos.

Pensando nisso, a Volkswagen, montadora alemã, liberou um pouco do que está por vir na sua próxima estratégia de carregamento dos veículos. Trata-se de estações móveis que podem ser entregues diretamente aos veículos que precisam de energia — o que, convenhamos, é mais prático do que utilizar os últimos resquícios de bateria para encontrar uma estação nas redondezas em casos extremos.

Essa opção pode ser excelente para quem mora em cidades grandes e estaciona o carro na rua ou simplesmente não tem como carregar o carro na garagem de casa. Assim, essas estações poderão carregar até 15 veículos, levando apenas 17 minutos para que a carga máxima seja atingida.

Os carros elétricos alcançaram o mais novo recorde de vendas globais em 2017: 1 milhão de veículos vendidos, sendo mais da metade na China. Contudo, a questão das estações de carregamento — e da falta delas — ainda é um obstáculo para a popularização desses veículos.

Fonte: Tecmundo

© 2019 Cariri Online. All Rights Reserved.