Super User

Super User

Selfies labore, leggings cupidatat sunt taxidermy umami fanny pack typewriter hoodie art party voluptate. Listicle meditation paleo, drinking vinegar sint direct trade.

Se você é apaixonado por café, talvez este seja o momento ideal para repensar a quantidade que você consome da bebida por dia. Um estudo recente descobriu que o café por ser considerado o vilão da dieta, contribuindo para o ganho de peso daqueles que tomam a bebida com frequência.

A pesquisa foi comandada por cientistas da Universidade Cornell, nos Estados Unidos. Durante a fase de testes, 107 voluntários foram divididos em dois grupos. O primeiro recebeu uma dose de café descafeinado com um suplemento de cafeína de 200 miligramas. Já o segundo grupo ingeriu café descafeinado com a adição de uma substância que simulava o mesmo sabor da bebida do primeiro grupo, no entanto, sem o suplemento de cafeína. As duas bebidas foram adoçadas com açúcar.

Após o consumo das bebidas, os participantes realizaram exames sensoriais para descobrir se eles poderiam notar alguma mudança no sabor. Os voluntários que tomaram o café com o suplemento acharam que ela tinha um sabor menos doce, em comparação com os que tomaram apenas o café sem cafeína.

Isso mostrou que a cafeína tem o poder de reduzir a percepção do sabor doce nas papilas gustativas. Por causa disso, os cientistas concluíram que o consumo exagerado de café é capaz de aumentar a vontade de comer doces, já que as pessoas poderiam ter uma ânsia maior por esse sabor. E, o consumo de doces levaria ao aumento de peso.

“Quando você bebe a cafeína, ela muda o modo como você percebe o gosto dos alimentos pelo tempo que durar o efeito. Então, se você comer logo após ingerir um café ou outras bebidas com cafeína, provavelmente vai perceber a comida de maneira diferente”, disse Robin Dando, principal autor do estudo, ao Daily Mail.

O resultado encontrado pelos cientistas foi publicado no periódico científico Journal of Food Science.

Fonte: Dicas Cidades

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) tem como missão identificar e reconhecer práticas culturais diversas para fortalecer identidades, garantindo o direito à memória e contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico do País. As religiões em si não são passíveis de tombamento ou registro. Entretanto, o Iphan reconhece expressões culturais relacionadas a diversas religiões e instituições de cultura que atuam na preservação de lugares e práticas culturais relacionadas às religiões.

Respaldado pelo institutos do tombamento (Decreto-Lei 25/37), inventários e registros (Decreto 3.551/2000), a atuação do Iphan está pautada no reconhecimento de bens de natureza material e imaterial.

Em relação aos bens materiais, considera "coisas móveis ou imóveis" de excepcional valor histórico, arquitetônico, entre outros, por meio do tombamento, cujos efeitos legais de proteção recaem sobre o aspecto da materialidade do bem. Há vários exemplos deste tipo de tombamento relacionado ao universo da religião, tais como terreiros de Candomblé e diversas igrejas católicas.

Já no campo do patrimônio imaterial, o registro é um instrumento legal de preservação, reconhecimento e valorização do patrimônio imaterial do Brasil, composto por bens que contribuíram para a formação da sociedade brasileira. Esse instrumento se refere a celebrações, lugares, formas de expressão e saberes, conhecimentos e técnicas que os grupos sociais reconhecem como parte integrante do seu patrimônio cultural. O Brasil já registrou práticas culturais de matriz africana, indígena e católica, a exemplo do Tambor de Crioula no Maranhão, Círio de Nazaré, Ritual Yaokwa dos Índios Enawene Nawe no Mato Grosso, Festas do Divino de Pirenópolis (GO) e Paraty (RJ), Lavagem do Bonfim, dentre outras, e ainda de práticas de matriz africana, como a Capoeira, o Ofício de Baiana, o Jongo no Sudeste, o Samba de Roda do Recôncavo e tantos outros.

Fonte: Ministério da Cultura

Um local de resistência e de importância histórica será palco de eventos que comemoram o Dia da Consciência Negra (20 de novembro). A Serra da Barriga, em Alagoas, que no passado abrigou o Quilombo dos Palmares, receberá certificação como Patrimônio Cultural do Mercosul no próximo dia 11. No período, estão programadas diversas atividades relacionadas à data, frutos de parcerias entre o Ministério da Cultura (MinC), a Fundação Cultural Palmares (FCP), o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o Governo de Alagoas e outras instituições públicas e da sociedade.

Ainda no dia 11, autoridades estarão presentes e farão uma visita guiada ao Parque Memorial Quilombo dos Palmares. Também haverá encenação feita com artistas locais, que farão um show aberto à comunidade. Implantado em 2007, em um platô no alto da Serra da Barriga, o parque recria o ambiente da República dos Palmares, maior e mais organizado refúgio de negros das Américas durante o período escravocrata. O quilombo também abrigou índios e brancos. O local reconstitui algumas das mais significativas edificações do Quilombo dos Palmares. Com paredes de pau a pique, cobertura vegetal e inscrições nos idiomas banto e iorubá, avista-se o Onjó de farinha (Casa de farinha), o Onjó Cruzambê (Casa do Campo Santo), o Oxile das ervas (Terreiro das ervas), as ocas indígenas e a Muxima de Palmares (Coração de Palmares).

O Iphan tem a atribuição de representar o governo brasileiro na Comissão de Patrimônio Cultural do Mercosul, sendo responsável pela ampliação da representatividade dos bens brasileiros reconhecidos como de importância para a integração cultural latino-americana. Atualmente, o Brasil possui três bens declarados Patrimônio Cultural do Mercosul: Ponte Internacional Barão de Mauá, localizada em Jaguarão, no Rio Grande do Sul, e Rio Branco, no Uruguai; as Missões Jesuíticas Guarani, como bem transfronteiriço envolvendo Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Bolívia; e o recente reconhecimento da Serra da Barriga, localizada no município de União dos Palmares (AL).

A Serra da Barriga, bem nacional acautelado pelo Iphan desde 1986, foi declarada Patrimônio Cultural do Mercosul dentro da temática de identificação cultural dos Cumbes, Quilombos y Palenques, juntamente com a Cimarronaje Cultural: el Patrimonio Cultural Inmaterial del Pueblo Afrodescendiente en el Ecuador, como proposta de integração da contribuição dos povos de origem africana na construção cultural da América do Sul. A Fundação Cultural Palmares desempenhou um papel ativo na campanha pelo reconhecimento da Serra da Barriga como Patrimônio Cultural do Mercosul. Um dos frutos desse trabalho é um dossiê que destaca a importância histórica e cultural da candidatura. O documento será apresentado à sociedade durante as comemorações do Dia da Consciência Negra, 20 de novembro, na Serra da Barriga.

O bem foi aprovado após a XIV Reunião da Comissão de Patrimônio Cultural (CPC) do Mercosul, na presidência pro tempore da Argentina, após candidatura apresentada pelo Iphan. O título, além de contribuir para o reconhecimento dos indivíduos e suas comunidades de matrizes africanas no continente americano e nos países da região, representa também uma reparação às perseguições e à intolerância praticadas e reveladas por meio dos quilombos. Esses refúgios de negros perseguidos por séculos são reconhecidos como testemunhos da resistência e dos processos de ressignificação das referências culturais dos afrodescendentes na construção das identidades da América, em especial aos países do Mercosul.

Tal reconhecimento posiciona a Serra da Barriga, em União dos Palmares, assim como o estado de Alagoas, como local de referência à memória e à integração cultural dos países que compõem o bloco sul-americano. Por essa razão, Maceió, capital alagoana, foi a cidade escolhida para sediar os eventos relacionados ao Mercosul Cultural – XV Reunião da Comissão de Patrimônio Cultural, V Reunião do Comitê de Patrimônio e Turismo (Compat) e I Reunião Técnica Especializada em Turismo, conjuntamente com a Compat.

O reconhecimento internacional da Serra da Barriga representa um compromisso do país envolvendo especialmente a União, o Governo de Alagoas, assim como a sociedade civil, na proteção, conservação, promoção e gestão do bem.

XV Reunião da Comissão de Patrimônio Cultural do Mercosul

Antes, no dia 8, o Teatro Marechal Deodoro (Centro de Alagoas) receberá convidados e autoridades, bem como os representantes dos países que compõe o Mercosul Cultural, em evento de boas-vindas com apresentações artísticas sobre o patrimônio cultural imaterial de matriz africana de Alagoas. A noite contará também com a exibição de um vídeo do programa Caminhos da Reportagem, da TV Brasil. A atração será exibida no dia 23 em novembro, às 22h. Trata-se de uma matéria sobre a Serra da Barriga, em homenagem ao Dia da Consciência Negra e o reconhecimento como Patrimônio Cultural do Mercosul. O especial destaca imagens da região, depoimentos de moradores e entrevistas.

Entre os dias 9 e 10, será realizada a XV Reunião da Comissão de Patrimônio Cultural (CPC) do Mercosul, na Associação Comercial de Alagoas (Rua Sá e Albuquerque). Delegados dos países participantes discutirão as políticas de integração cultural dos países envolvidos, assim como o reconhecimento, a promoção e a valorização dos bens culturais comuns. A CPC é a instância técnica que antecede a Reunião de Ministros da Cultura dos países do bloco, na qual os assuntos tratados nessa comissão são deliberados. Apresentação do Plano de Gestão da Serra da Barriga como Patrimônio Cultural do Mercosul e caracterização do bem Sistema Cultural da Erva-Mate e critérios para aprovação da CPC na sua postulação são alguns dos temas que serão abordados no encontro, bem como a proposta de certificação de destinos patrimoniais.

Por fim, no dia 20, será lançada a publicação do dossiê de candidatura da Serra da Barriga ao título de Patrimônio Cultural do Mercosul. Na ocasião, haverá instalação do Comitê Gestor da Serra da Barriga e a apresentação do dossiê sobre sua candidatura ao Patrimônio Cultural do Mercosul.

Fonte: Ministério da Cultura

O reality show de culinária The Great British Bake-Off é líder absoluto de audiência no Reino Unido, com audiências recorde nas suas oito temporadas que foram transmitidas pelas emissoras BBC e Channel 4.

A grande final da oitava temporada irá ao ar nesta terça-feira, 31, mas uma das juradas do reality acabou com a surpresa ao divulgar a vencedora.

Prue Leith publicou sem querer um post programado em que parabenizava Sophie Faldo pela vitória no GBBO e causou consternação generalizada no Twitter.

Ela tentou se retratar dizendo que estava em viagem e que sua equipe de redes sociais apagou rapidamente a postagem, mas era tarde demais e vários veículos de imprensa pegaram o passo em falso.

Essa temporada já havia sido controversa porque foi a primeira a não ser transmitida pela BBC, que cedeu os direitos do reality para o Channel 4 após não chegar a um acordo na renegociação do contrato de transmissão.

O público também havia ficado furioso com a substituição de Mary Berry, uma das cozinheiras de televisão mais respeitadas do Reino Unido, por Leith.

Obviamente, o Twitter não perdoou o passo em falso da jurada e reagiu com raiva pelo spoiler e também rindo que a temporada caiu de qualidade após a saída da BBC.

Fonte: Exame

Paleta de cordeiro, aspargos, ragu com polenta, ingredientes orgânicos e selecionados. Pratos que poderiam estar em cardápios de restaurantes integram o menu de lojas especializadas em papinhas e comidinhas para crianças. Também conquistam cada vez mais pais que não sabem cozinhar ou não encontram tempo para preparar as refeições.

A consultora de recursos humanos Nathalia Sobral, de 30 anos, conheceu o tipo de serviço há três anos, quando começou a comprar algumas unidades para a filha mais velha. Agora, para a segunda filha, ela aumentou a quantidade e tem opções para, ao menos, cinco refeições por semana para Lílian, de 4 anos e meio, e Elisa, de 1 ano e três meses.

“Sempre quero ter algo no freezer. Hoje, na minha rotina, não consigo cozinhar tudo. Faço o básico: arroz, feijão, mas a mistura é o mais difícil. Minha prioridade é garantir alimento saudável para as minhas filhas. É uma opção que traz uma variedade de alimentos que não poderia proporcionar em casa.”

As comidas fazem tanto sucesso que até Nathalia come de vez em quando. “Antes de começar a comprar, eu experimentei. Às vezes, quando não tem nada no freezer, coloco um para mim também. É uma comida que vem balanceada.”

Cozinhar não é o forte da produtora Melissa Alpiste, de 33 anos. Mãe de Bento, de 2 anos e 10 meses, ela conta que ele começou a gostar de comer com 1 ano e meio. “Fiquei preocupada, porque a gente sabe que o leite materno é completo. Quando pesquisei, nem pensava muito nessa coisa de orgânico.”

No início, ela só comprava para os fins de semana. “Durante a semana, pegava o cardápio (da loja) e buscava imitar, fazer uma receita parecida, mas não sou boa na cozinha. Agora, eu estoco, mas não compro para o mês inteiro.”

Ela diz que o resultado também tem aparecido nas consultas do filho. “Toda vez que vou ao pediatra, está tudo bem. Ele está ganhando peso. Então, não é só praticidade, faz bem e não tem preço ver que ele está saudável por causa da alimentação, que é um remédio para a vida.”
Negócio

Chef da Gourmetzinho Comidinhas, Amilcar Azevedo resolveu abrir o negócio há três anos após fazer a introdução alimentar do primeiro filho e receber a sugestão de amigos. Embora trabalhe em dois restaurantes, ele diz que o processo de criação dos pratos passa por uma rigorosa análise de outros profissionais.

“A gente sempre segue a linha do que os pediatras recomendam. Contamos com uma equipe de consultores, pediatras e nutricionistas. Faço uma receita pensando no sabor e elas apontam se precisa de mais carboidratos ou proteínas até alcançarmos a recomendação nutricional.”

Sócia da Papababa, Mariana Ozores Michalany diz que seus principais clientes são mães que querem oferecer uma alimentação balanceada e com ingredientes orgânicos, mas não têm tempo para procurar esses produtos.

“Não são todas as mães que arriscam na hora que estão cozinhando e na hora de comprar. Quanto mais variada a alimentação, além de acostumar e ampliar o paladar da criança, tem a variedade nutricional e de cores e sabores.”

Nutricionista do Empório da Papinha, Gislaine Donelli explica que, além das opções oferecidas pela loja, existe a possibilidade de elaborar um cardápio levando em consideração as necessidades do bebê.

“Montamos o cardápio segundo a indicação do pediatra e a escolha dos produtos depende muito das necessidades do bebê. Caso o bebê esteja constipado, por exemplo, oferecemos produtos que contenham mais fibras.”

Fonte: Exame

"Você nunca deixa de ser mãe", disse a senhora que até hoje dá ordens para o filho se comportar quando julga necessário.

Amor de mãe é para sempre, não é mesmo? Isso é o que prova a britânica Ada Keating, 98 anos, que se mudou para um asilo para poder cuidar do filho Tom, 80 anos. O caso aconteceu em Liverpool, na Inglaterra.

Tom nunca se casou e, por isso, acabou não saindo da casa da mãe. Com a idade avançada, ele acabou precisando de maior assistência diária e, em 2016, se mudou para a casa de repouso Moss View. Agora, pouco mais de um ano depois, Ada decidiu ir viver com o filho para que eles voltassem a ficar próximos e, assim, ela pudesse ajudar a cuidar dele também.

“Eu dou boa noite para Tom no quarto dele todas as noites. Depois, vou e dou bom dia e digo que vou descer para o café da manhã”, contou a senhora para o jornal local Liverpool Echo. “Quando eu saio para ir ao cabeleireiro, ele vai ver quando estarei de volta. Quando eu chego, ele vem até mim com os braços estendidos e me dá um grande abraço. Você nunca deixa de ser mãe.”

“Ela é muito boa cuidando de mim. Às vezes ela diz ‘comporte-se!’ “, afirma Tom após compartilhar que fica feliz em voltar a ver a mãe com mais regularidade. O gerente da Moss View, Philip Daniels, contou ao jornal que fica encantado com a relação dos dois. “É muito raro ver mãe e filho juntos na mesma casa de repouso e nós, certamente, queremos fazer desse tempo deles o mais especial possível. Eles são inseparáveis”, declarou.

Antes de se aposentar, Tom era pintor e decorador e Ada atuava como enfermeira auxiliar.

Fonte: M de Mulher

Quase um senso comum quando o assunto é vinho, o possível efeito cardioprotetor da bebida tem sido colocado em xeque por pesquisadores. Se há estudos que apontam que o consumo moderado de vinho pode reduzir o risco de doenças do coração, uma revisão recente de 45 pesquisas indica que a questão precisa ser melhor investigada.

O tema ganhou destaque há mais de quatro décadas com a publicação da primeira pesquisa epidemiológica de impacto sobre o consumo de álcool e o risco de doenças cardíacas. Na ocasião, foram investigados 120 mil pacientes e levantou-se a possibilidade de que o baixo consumo de álcool poderia reduzir o risco de doença arterial coronariana.

De lá pra cá, muitos estudos foram publicados a respeito da relação entre o consumo de bebidas alcoólicas e a saúde cardiovascular, mas o efeito cardioprotetor do álcool ainda é controverso. Alguns autores apoiam o efeito benéfico de quantidades baixas ou moderadas de álcool (uma ou duas doses por dia*), que poderia estar ligado à presença de polifenóis, que são substâncias naturais com potentes propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, encontrados no vinho tinto e cerveja escura. Mas outros pesquisadores questionam a veracidade dessa associação.

O debate foi acirrado em recente edição do Journal of Studies on Alcohol and Drugs, que trouxe artigos e comentários sobre o tema. A principal crítica daqueles que questionam o efeito cardioprotetor do álcool está relacionada aos vieses dos estudos, como a escolha do grupo de referência, na maioria das vezes definido vagamente como "abstêmio", a idade dos participantes e a saúde cardíaca de base.

A hipótese é que, se houver controle desses vieses, os efeitos de cardioproteção atribuídos ao consumo leve ou moderado de álcool não serão tão exuberantes. Na revisão de 45 artigos sobre o tema, pesquisadores observaram que estudos que aplicaram o controle da saúde cardíaca dos participantes não encontraram evidências de proteção significativa para a doença arterial coronariana, em qualquer nível de consumo de álcool; enquanto para os que não controlaram este parâmetro verificou-se uma notável proteção.

Sim, a questão é complexa e não há consenso científico sobre os potenciais efeitos benéficos do consumo moderado de álcool para a saúde do coração. No entanto, vale frisar que a taxa de risco cardiovascular é crescente conforme o aumento gradual da ingestão de álcool e que não há indicação para o consumo de álcool na prevenção primária de doenças cardíacas, pois existem outros riscos à saúde envolvidos no uso de bebidas alcoólicas.

*Uma dose diária (10-12 g de álcool puro) segundo a Organização Mundial de Saúde equivale a 330 ml de cerveja/chopp, 100 ml de vinho ou 30 ml de destilado.

Fonte: Minha Vida

Sexo é bom e ainda faz bem para a saúde! O orgasmo, por exemplo, é uma das sensações mais íntimas e deliciosas para homens e mulheres e é muito mais do que sinal do sucesso de uma relação sexual. A cada dia, os cientistas descobrem novos efeitos desta reação orgânica que, além de melhorar as emoções, faz muito pela sua saúde. "O orgasmo contribui para que homens e mulheres vivam com mais qualidade, trata-se de um momento de prazer que reverbera por vários dias", afirma o ginecologista Neucenir Gallani.

Porém, apesar de proporcionar prazer e qualidade de vida, uma pesquisa feita pela Universidade de São Paulo (USP) revelou que 70 % dos brasileiros fazem menos sexo do que declaram em conversas e pesquisas públicas. Por isso, o Minha Vida estimula você a melhorar essa situação trazendo o que a ciência e os especialistas andam dizendo por aí sobre os benefícios que uma vida sexual ativa trazem ao corpo.

Confira:

Alivia as crises de enxaqueca
Quando seu parceiro reclamar, dizendo que não quer sexo porque está com dor de cabeça, reverta a desculpa a favor da saúde dele. Segundo o médico Neucenir Gallani, o orgasmo libera substâncias, como as endorfinas, que atuam no sistema nervoso. "Elas diminuem a sensibilidade à dor, relaxando a musculatura e melhorando o humor", afirma.

Melhora o aspecto da pele
Fazer sexo, principalmente no período da manhã, é um poderoso aliado da beleza para manter a juventude. Essa foi a conclusão de um estudo, realizado por cientistas da Universidade Queens (Reino Unido). De acordo com os pesquisadores, atingir o orgasmo aumenta os níveis de estrogênio, testosterona e de outros hormônios ligados ao brilho e a textura da pele e dos cabelos. Além disso, quando há o orgasmo, ocorre uma vasodilatação superficial dos vasos, até aumentando a temperatura em algumas pessoas. Com isso, a pele ganha uma aparência mais viçosa, e o brilho natural dela fica em destaque.

Alivia as cólicas da TPM
O ginecologista Neucenir Gallani faz questão de reforçar que isso não é uma regra, mas acontece com algumas mulheres. Os movimentos realizados durante o sexo estimulam os órgãos internos, que ficam mais relaxados e, com isso, há diminuição das dores que incomodam seu bem-estar nos dias antes da menstruação. "Mas há mulheres que, na fase pré-menstrual, não têm disposição para o sexo e forçar a barra pode ser pior", diz o ginecologista.

Melhora o sono
O relaxamento que o orgasmo traz contribui para que você durma melhor, e não apenas no dias em que houver sexo. A reação tem efeito prolongado, devido a ação dos neurotransmissores que passam a agir no seu organismo com mais regularidade e numa quantidade maior.

Diminui o estresse
O médico faz questão de ressaltar que o orgasmo não deve ser encarado como um remédio calmante, mas como parte de uma relação afetiva que traz prazer. Quando isso acontece, os níveis de estresse tendem a diminuir não só pela estabilidade emocional, mas também porque os chamados hormônios do estresse, como o cortisol, apresentam atividade reduzida. Quem trouxe essa novidade foi um estudo escocês recém-publicado na revista Biological Psychology.

Diminui os riscos de infarto
Um estudo da Universidade de Bristol, na Grã-Bretanha, realizado com mais de 3 mil homens de 45 a 59 anos, concluiu, após 20 anos, que o sexo frequente pode reduzir o risco de infartos fatais e de derrames. De acordo com as conclusões da pesquisa, a morte súbita causada por problemas de coração é mais comum entre homens que afirmam ter níveis baixos ou moderados de atividade sexual.

Queima calorias
Segundo a Associação Americana de Educadores e Terapeutas Sexuais, a atividade sexual pode ser um ótimo exercício para o corpo. Isso porque meia hora de sexo queimam, em média, 85 calorias. Portanto, se você está sem paciência para ir à academia, que tal optar pelo plano B?

Aumenta a imunidade
Um estudo feito pela Wilkes University, nos Estados Unidos, mostrou que uma vida sexual ativa aumenta os níveis de um anticorpo conhecido como IgA , responsável pela proteção do organismo de infecções, gripes e resfriados.

Fonte: Minha Vida

Dentre todas as preocupações que um empreendedor tem no seu dia a dia, uma se destaca: os impostos. A dificuldade começa em entender a diversidade da carga tributária brasileira, mas o micro e pequeno empreendedor podem contar com o Simples Nacional que, como próprio nome já diz tem como objetivo simplificar o sistema de impostos e facilitar a vida dos pequenos empreendedores.
E o que é o Simples Nacional?

O Simples Nacional é um regime especial de arrecadação, cobrança e fiscalização de tributos e impostos.

Ele unifica oito impostos em um único boleto e reduz significativamente a sua carga tributária.

Os impostos são:
– Federais: IRPJ, CSLL, PIS, COFINS, IPI
– Previdência: INSS patronal
– Estadual: ICMS
– Municipal: ISS

Quem pode ser do Simples?
Os Microempreendedores Individuais – MEI com faturamento anual de até R$ 60.000,00, microempresas com faturamento de até R$ 360 mil/ano) e empresas de pequeno porte que faturem entre R$ 360 mil e 3,6 milhões ao ano podem optar pelo Simples.

As empresas não podem ter qualquer irregularidade no CNPJ, nem nos seus cadastros fiscais federal, estadual e municipal, nem possuir débitos na Dívida Ativa da União ou INSS.

Também existem restrições com empresas com ramos empresariais que exigem regulação especial, como por exemplo: empresas do setor financeiro, imobiliário, de energia e combustíveis, de transporte, e que produzam cigarros, bebidas alcoólicas, armamentos ou explosivos.

Vale ressaltar que o Simples Nacional não é obrigatório e em algumas circunstâncias ele pode não ser a melhor opção. Sendo assim, uma empresa pode cumprir todos os requisitos e, após fazer o seu planejamento tributário, optar por outro regime.
Como calcular o imposto a ser pago no Simples Nacional?

As alíquotas para o cálculo do imposto variam de acordo com o setor da empresa: comércio, indústria ou serviço e são divulgadas tabelas com esse percentual que deve ser aplicado ao faturamento dos últimos 12 meses da empresa. Atualmente, existem 6 tabelas para o cálculo do Simples Nacional. Veja a tabela vigente para as empresas do varejo clicando aqui!

No caso das empresas que estão iniciando as suas atividades, a base para definir que alíquota na tabela que será aplicada para a apuração do imposto será o faturamento do último mês multiplicado por 12.

No entanto, existe na legislação municipal e estadual o conceito de sublimite que possibilita que cada estado, dependendo da sua participação no Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, possa determinar tetos diferentes da tabela para empresas de pequeno porte poderem participar do Simples.

Isso acontece para possibilitá-los a continuar favorecendo a formalização dos negócios menores, sem perder o equilíbrio de sua arrecadação. Ou seja, se pela tabela o teto do faturamento anual é R$3,6 milhões para sair do Simples, em alguns estados as empresas deixam de ser do Simples antes.

Os sublimites em vigência são:
R$ 1.800.000: Acre, Amapá, Rondônia e Roraima
R$ 2.520.000: Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Piauí e Tocantins
Como posso inscrever o meu negócio no Simples?

Quando a empresa está iniciando as suas atividades, ela precisa fazer o seu registro no CNPJ – Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas. Depois disso, o empresário solicitará a inscrição Estadual e Municipal. Ele terá 30 dias após receber as inscrições (estadual e municipal) para fazer o cadastro no simples, desde que não tenha excedido o prazo de 180 dias a contar da data do cadastro no CNPJ.

Passado esse prazo, a empresa, como as demais que não estão iniciando as suas atividades, só poderão fazer esse pedido no mês de janeiro.

O pedido deve ser feito através do site da receita:

http://www8.receita.fazenda.gov.br/SIMPLESNACIONAL/Servicos/Grupo.aspx?grp=4

Em seguida, clique em Simples serviços > opção > Solicitação de Opção pelo Simples Nacional.

Se a empresa quiser se antecipar, ela pode fazer o agendamento no Portal do Simples Nacional entre o primeiro dia útil de novembro e o penúltimo dia útil de dezembro do ano anterior ao da opção. Assim, a empresa vai verificar se existe alguma situação que a impeça de ser do Simples e o empresário terá tempo hábil para solucioná-la.

Lembre-se só de um detalhe: Depois que a empresa adotou o Simples, essa opção não pode ser anulada durante todo o ano em que foi feita.

O seu contador é de bastante importância para analisar a viabilidade do Simples Nacional para o seu negócio.

Ele também deve se atentar na apuração dos impostos quando você já for do Simples, diferenciando a receita de PIS/COFINS Substituição e ICMS Substituição para sua empresa não arrecadar mais impostos do que deveria. Se você pagar mais, o governo não reclamará. Você e o seu contador precisam estar atentos.

Fonte: Casa Magalhães

Somos todos consumidores, seja você o dono de um restaurante ou o administrador de um food service. Todos nós, de uma forma ou de outra, nos relacionamos com as empresas e criamos experiências de atendimento positivas e negativas com as marcas.

Quem afirma isso é o Relatório Global 2015 de Serviços para o Consumidor Multicanais (Parature e Microsoft), apontando que quase 70% dos consumidores pararam de realizar negócios devido experiências negativas no ambiente digital.

O fato é que nós, os consumidores, estamos cada vez mais exigentes sobre o nosso relacionamento com as marcas. Você já se perguntou como anda o relacionamento dos clientes com o seu restaurante?

Continue lendo e descubra 3 segredos que vão a experiência dos consumidores no seu estabelecimento!

1. Crie experiências personalizadas e se diferencie.
Outro ponto em que o atendimento é ajudado pela tecnologia é que se torna mais personalizado. Com uma boa base de dados sobre os pedidos passados, por exemplo, fica mais fácil fazer uma sugestão acertada de prato a um novo cliente.

Também é mais fácil entender quais são as necessidades gerais do nicho de clientes, o que

permite uma atuação mais direcionada. No caso de restaurantes que fazem cadastro de clientes, inclusive para programas de fidelidade, a tecnologia é ainda mais útil.

Ela permite que a equipe conheça os clientes cadastrados e que ofereça uma experiência ainda mais diferenciada e personalizada. O impacto disso é na satisfação dos clientes, que passa a ser mais positiva.

Isso gera uma melhor relação do estabelecimento com os consumidores, além de favorecer a fidelização em longo prazo. Como resultado, a base de clientes se torna mais sólida e o negócio tem mais chances de permanência no mercado.

Um atendimento diferenciado também funciona como uma vantagem competitiva. Em um mercado tão concorrido, aproveitar as chances de se destacar da concorrência pode significar a continuidade do negócio — e a tecnologia pode ajudar exatamente nisso.

2. Automatize e melhore o atendimento do seu restaurante.
Oferecer uma boa experiência é tão importante quanto oferecer uma boa comida. Uma deficiência em qualquer um desses pontos, sem dúvidas, prejudica a retenção e atração de clientes.

Dentro desse cenário, a automação comercial de bares e restaurantes é de extrema importância. Com o uso da tecnologia, os níveis de qualidade do atendimento são
elevados em diversos sentidos.

Primeiramente, a automação reduz as chances de que erros aconteçam. A situação em que o cliente pede um prato e recebe outro, gerando insatisfação, se torna bem menos frequente, de modo a não prejudicar a imagem do estabelecimento.

Além disso, graças a automação comercial e a redução no tempo de atendimento de cada consumidor. há um aumento na disponibilização de garçons dentro do próprio salão.

Se demoram menos tempo para recolher e fazer um pedido para a cozinha, por exemplo, há mais tempo para atender os clientes mais rapidamente. Isso evita, por exemplo, a situação de um pedido que é feito corretamente, mas chega frio ao cliente devido à demora em todo o processo.

3. Monitore a satisfação dos seus consumidores.
Depois de empreender tantos esforços em conquistar os clientes, é importante saber qual foi o resultado e a tecnologia pode te ajudar neste processo.

Hoje existem sistemas de atendimento para restaurante que possibilitam a realização de pesquisas de opinião com os consumidores, algo essencial para ter um maior controle sobre a satisfação do cliente.

Isso garante que o restaurante saiba onde está acertando e, principalmente, que fique mais atento a possíveis pontos prejudiciais para o negócio. Vale sempre lembrar que um baixo nível de satisfação dos clientes, é um sinal de alerta para rever processos.

Fonte: Casa Magalhães

© 2019 Cariri Online. All Rights Reserved.