Login to your account

Username *
Password *
Remember Me

Create an account

Fields marked with an asterisk (*) are required.
Name *
Username *
Password *
Verify password *
Email *
Verify email *
Captcha *
Reload Captcha

A France 2 fez um documentário sobre o PSG no qual revela que alguns jogadores recebem verbas para adotarem certos comportamentos. É o caso de Neymar, que recebe 375 mil euros para aplaudir os torcedores no fim das partidas.

A publicação informa que Neymar recebe 375 mil euros para aplaudir os torcedores. Mas não é o único. Thiago Silva ganha, pelo mesmo gesto, 33 mil euros.

Em comunicado, o clube francês adiantou que essas ações fazem parte do salário do jogador e do equipe, não sendo sequer consideradas um bônus.

“Esse prêmio faz parte de uma remuneração mensal dos jogadores profissionais. O prêmio não está ligado com a finalidade de serem cumpridos determinados objetivos, deve-se apenas a uma motivação pedagógica para implementar os valores que cremos que esse clube deve ter”, afirmou o PSG.

Segundo o clube, existe um código de ética a ser cumprido pelos jogadores, que inclui vários itens e valem pontos. Além de aplaudirem os torcedores, os jogadores do PSG são também compensados pela pontualidade, pelo respeito que demonstram pelos órgãos de comunicação e por não apostarem nos jogos em que o clube participa, informa o DN.

Neymar custou 22 milhões de euros ao clube francês, que o contratou tirando-o do Barcelona no inverno do ano passado.

Fonte: Ciberia

Um dos pontos de maior desafio da Corrida de São Silvestre é a subida da Avenida Brigadeiro Luís Antônio, último obstáculo antes de chegar à Avenida Paulista, local da linha de chegada. Na disputa da 94ª edição, realizada nesta segunda-feira (31), a subida foi fundamental para definir os vencedores das provas masculinas e femininas: o etíope Belahy Bezabh (45min05s) e a queniana Sandrafelis Tuei (50min02s), respectivamente.

Como costume, as mulheres largaram primeiro, às 8h40 (de Brasília). A queniana Pauline Kamulu, de 24 anos, liderou os primeiros 14 quilômetros da disputa, mas perdeu força na subida final e não resistiu ao ataque da compatriota Sandrafelis Tuei.

A ultrapassagem aconteceu pouco depois do Viaduto 13 de Maio, parte final da subida da Avenida Brigadeiro Luís Antônio. Na liderança, Sandrafelis seguiu em um ritmo forte na entrada da Avenida Paulista e cruzou na primeira colocação. Sem esconder a expressão de desapontamento, Paulini cruzou em segundo.

A terceira colocação ficou com Mestawut, da Etiópia. A brasileira melhor colocada foi Jenifer Nascimento da Silva, na oitava posição. Ela compete pelo Pinheiros.

Os homens largaram quando o relógio marcava 9h05 (de Brasília). Diferentemente da prova feminina, a masculina teve um pelotão se destacando dos demais. Sete atletas da Etiópia, Quênia e Uganda brigavam centímetro a centímetro para ficar na frente. Eis que chegou a subida da Brigadeiro Luís Antônio.

Dono do ritmo mais forte nos primeiros quilômetros, o ugandense Maxwell Rotich ficou para trás logo nos primeiros metros da Brigadeiro. Conforme a subida era percorrida, apenas dois atletas ficaram com chances claras de vitória: Dawit Admasu e Belahy Bezabh.

No último trecho da Brigadeiro, Belahy colocou de lado e ultrapassou Admasu, atual vencedor da prova. Quando entraram na Avenida Paulista, o etíope já disparava na frente, impondo um bom ritmo para cruzar na primeira colocação. O brasileiro melhor colocado foi Giovani dos Santos, que terminou na oitava colocação.

Fonte: BOL

Duelo épico no UFC

Dezembro 27, 2018

Ainda que uma confusão de última hora envolvendo Jon Jones tenha tirado o UFC 232 de Las Vegas, o evento de sábado (29), no The Forum, em Los Angeles, tem todos os ingredientes para entrar na galeria dos momentos épicos da franquia. O duelo pelo título dos meio-pesados entre o norte-americano e o sueco Alexander Gustafsson já faz parte da história do MMA. O novo capítulo, claro, é aguardado pelos fãs.

Como se não bastassem a volta de Jon Jones após longo gancho por doping - lutou pela última vez em 29 de julho de 2017 - e a polêmica em razão de um novo exame ter encontrado resquícios de turinabol em seu organismo, o adversário será o da eleita melhor luta do ano de 2013.

Talvez venha daí o esforço do presidente Dana White para que a dupla se encontrasse no retorno de Jones. Tanto que um evento inteiro foi transferido para Los Angeles, não um combate cancelado ou um lutador substituído. Os torcedores, dirigentes e lutadores querem a repetição daquilo que ocorreu em 21 de setembro de 2013.

No UFC 165, em Toronto, os dois protagonizaram uma das maiores lutas da história do evento. Jones manteve o cinturão após cinco rounds sangrentos. Venceu por pontos - decisão unânime -, mas apanhou muito, levou sufoco e claramente viu de perto a possibilidade de deixar o domínio da categoria.

Aquela noite fez Gustafsson ser respeitado no mundo do MMA e visto como um dos grandes da divisão. O sueco promoveu a cena inédita de um "imbatível" Jon Jones sangrando e desnorteado em alguns momentos. Foi assim até o terceiro round, quando o norte-americano começou a dar as cartas. No quarto round, Jones por pouco não nocauteou o oponente.

Naquele momento, a arena já delirava com dois lutadores de nível altíssimo em um combate franco. Gustafsson ganhou a simpatia dos torcedores, que vaiaram quando a decisão em favor de Jon Jones foi anunciada. Desde então, se espera a revanche. Alguns, inclusive, já se empolgam com a possibilidade de uma trilogia, digna dos grandes protagonistas da franquia.

Gustafsson terá a terceira chance de conquistar o cinturão meio-pesado do UFC. Além de Jones, ele também perdeu para Daniel Cormier. O sueco soma 18 vitórias e quatro derrotas. O norte-americano acumula 22 triunfos, um revés e uma luta sem resultado. Uma nova página na carreira de cada um deles será escrita em Los Angeles.

UFC 232 29 de dezembro de 2018, em Los Angeles (EUA)

Card principal
Meio-pesado: Jon Jones x Alexander Gustafsson
Pena: Cris Cyborg x Amanda Nunes
Meio-médio: Carlos Condit x Michael Chiesa
Meio-pesado: Ilir Latifi x Corey Anderson
Pena: Chad Mendes x Alex Volkanovski

Card preliminar
Pesado: Andrei Arlovski x Walt Harris
Pena: Cat Zingano x Megan Anderson
Galo: Douglas D'Silva x Petr Yan
Leve: B.J. Penn x Ryan Hall
Galo: Nathaniel Wood x Andre Ewell
Médio: Uriah Hall x Bevon Lewis
Médio: Curtis Millender x Siyar Bahadurzada
Galo: Montel Jackson x Brian Kelleher

Fonte: UOL

Um adolescente de 15 anos morreu neste domingo (5), um dia após ter sido atingido por um raio em um jogo de futebol em Biguaçu, região metropolitana de Florianópolis (SC). Vinícius Adriano era do time sub-16 do Boa Vista e morreu de parada cardiorrespiratória.

Matheus Costa Cabral, treinador do time, anunciou a morte de Vinícius Adriano na página do Boa Vista no Facebook. "É com muita tristeza que informamos que nosso atleta Vinícius Adriano veio a falecer. Um menino ótimo, estudioso, educado, um menino sem mal no coração. Um garoto que só fazia coisas boas, amado e querido por todos. Sempre descontraído, sempre rindo, brincando. Você ficará eternizado em nossos corações, Vinícius. Jamais iremos esquecer de você. A gente te ama."

Ao UOL, Cabral explicou que era uma partida amistosa entre o sub-16 do Boavista e do Beira Mar. O treinador estava preparando o time para disputa de um campeonato regional.

"O tempo estava nublado. Não tinha raio, nem chuva, nem nada. Faltavam dois minutos para acabar o primeiro tempo. Do nada caiu um raio. Atingiu dois meninos. Depois começou a chover, o que foi muito estranho. Todo mundo saiu correndo, apavorado. Dei um passo para sair correndo e vi os dois atletas caídos", explicou.

"Fui o primeiro a chegar ao local. Medi o pulso, vi que o outro atleta estava respirando e acordado. Já o Vinícius estava com a pulsação fraca. Pegamos, colocarmos na terra firme, para absorver a energia. Fizemos reanimação. A equipe da Autopista chegou rápido. Ele [Vinícius] ficou 50 minutos de parada cardíaca. Não desistimos nenhum minuto".

O outro atleta a que Cabral se refere era do time do Beira-Mar. Ele informou que o adolescente está se recuperando bem e em observação no Hospital Regional de São José. O treinador relatou que alguns atletas do seu time sentiram dor de cabeça. Outro foi arremessado para longe com a força do raio, mas passa bem.

Segundo o treinador, Vinícius foi levado para o Hospital de Florianópolis. De noite, seria transferido para outro hospital, mas teve outra parada de mais de 50 minutos. "Os médicos nos informaram que ele tinha perdido os movimentos, que o quadro irreversível e era só aguardar".

Cabral estava com os pais de Vinícius no momento que o adolescente morreu, por volta das 1h30 da madrugada deste domingo. "Eles me agradeceram por tudo, disseram que o Vinícius gostava muito de mim, e pediram para eu continuar o projeto. Conversei com ele até o coração dele parar de bater".

O velório de Vinícius Adriano será às 15h deste domingo, em uma capela do bairro Fundos, em Biguaçu. O enterro será às 10h desta segunda, no mesmo local.

Fonte: UOL

A cantora Anitta foi escolhida para cantar o Hino Nacional no GP do Brasil de Fórmula 1, que acontecerá em Interlagos, São Paulo, no dia 12 de novembro. Amiga do tetracampeão mundial Lewis Hamilton, ela disse ainda que desde criança ela se lembra do pai e de familiares torcendo pelos pilotos brasileiros nos domingos.

É um prazer enorme e uma honra representar meu país mais uma vez cantando o nosso hino para o público presente no autódromo e para milhões de pessoas que acompanham o evento pela TV ao vivo.Era um acontecimento. É um esporte emocionante", afirmou a cantora.

Não foi a primeira vez que Anitta cantou em um grande evento esportivo. Nos Jogos Olímpicos do Rio 2016, a cantora participou da abertura ao lado de Caetano Veloso e Gilberto Gil.

Fonte: O Dia

Página 1 de 2